Câmara de PG emperra Plano Diretor há mais de dez meses

Crédito: José Aldinam
Crédito: José Aldinam

–  O presidente da Comissão Especial do Plano Diretor, George de Oliveira (PMN), disse que o plano ainda não foi votado por questões burocráticas. Segundo o vereador um dos problemas é que a bancada evangélica pretende beneficiar e diferenciar o tratamento para as igrejas – 

 Ponta Grossa é o quarto município mais populoso do Paraná, com uma estimativa de 334.535 habitantes, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E mesmo com o significativo aumento populacional, a cidade, ainda não conta com um Plano Diretor atualizado e que possa atender suas reais demandas. De acordo com o engenheiro e diretor de Comunicação e Mídia da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Ponta Grossa (AEAPG), Fábio Dias, o último Plano Diretor, foi desenvolvido há quase quarenta anos.

 “A não existência do Plano Diretor é um prejuízo constante para todos nós. Estamos perdendo tempo, dinheiro e a oportunidade de desenvolver a cidade. E não existe nenhuma razão que justifique o fato de que o projeto ainda nem foi votado pelos vereadores”, afirmou  Fábio Dias.  Segundo o engenheiro, a cidade de Ponta Grossa é norteada por um Plano Diretor que não condiz com a realidade. ” O município cresceu e está crescendo, bem como, sua população, mas seguimos um Plano Diretor que foi elaborado na década de oitenta. O que a Câmara precisa fazer é tirar da gaveta o projeto e colocá-lo para votação”, disse.

O vereador e presidente da Comissão Especial do Plano Diretor, George de Oliveira (PMN), disse que o plano ainda não foi votado por questões burocráticas. ” A cidade ficou muito tempo sem o Plano Diretor, por isso, temos que avaliar e fazer um estudo profundo. Não podemos votar de qualquer jeito, pois trata-se do futuro da cidade para as próximas décadas. O que acontece é que temos muitos entraves burocráticos, até mesmo na Secretaria de Planejamento”, explica o vereador. Em relação a lei do ‘Estudo de Impacto de Vizinhança’, o vereador disse que um dos impasses é por que o vereador e pastor Ezequiel Bueno (PRB) visa diferenciar e conceder privilégios para igrejas. “O pastor Ezequiel quer que as igrejas tenham um tratamento totalmente diferenciado. Por exemplo, ele quer isentar igrejas com menos de seis mil metros quadrados. Estamos fazendo um estudo aprofundado de tudo”, concluiu o vereador George de Oliveira. 

“Iplan poderia ser mais atuante”, diz engenheiro da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Ponta Grossa

 Durante a campanha eleitoral o prefeito Marcelo Rangel (PPS) defendeu a reativação do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Iplan). Para Rangel o Iplan seria a solução para muitos dos problemas enfrentados pelo município. A prefeitura anunciou e apresentou projetos elaborados pelo Iplan, mas o fato é que de concreto não existe nada.

 “Para nós da Associação dos Engenheiros e Arquitetos é muito preocupante saber que existe um órgão que é composto por engenheiros, mas que precisa ser mais atuante. É preciso sair do papel e de fato colocar as coisas em prática”, disse o engenheiro e diretor de Comunicação e Mídia da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Ponta Grossa (AEAPG), Fábio Dias. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s