Enrolado na Lava Jato, Aécio Neves nega que recebeu propina da Odebrecht

aecio
Segundo Aécio Neves (PSDB-MG) “todas as acusações contra ele são falsas e absurdas”. (foto: Fernanda Carvalho/Estadão)

As coisas também não andam boas para o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Não é nenhuma novidade dizer que Aécio é apontado como um dos políticos que está entre os mais sujos na operação Lava Jato. Mas o fato é que quando se trata do PSDB, parece que sempre “a culpa é dos outros” ou é “tudo articulação do PT”.

Em nota divulgada no final da tarde deste domingo (2), os líderes do PSDB defendem o senador Aécio Neves, que está sendo apontado como destinatário de dinheiro oriundo de propina depositada na conta de sua irmã, Andrea Neves, em Nova York. A nota do PSDB se refere a uma matéria publicada pela revista Veja na última sexta-feira (31).

Além disso, o senador Aécio Neves, tem negado qualquer envolvimento na Lava Jato. “Tal conta nunca existiu. As acusações publicadas na revista Veja são falsas e absurdas. É lamentável que afirmações graves como as apresentadas venham a público sem a devida apuração de sua veracidade”, disse o senador.

Entre os líderes que assinaram a nota em defesa de Aécio Neves aparecem os tucanos que também estão enrolados em diversas denúncias de corrupção, como o governador do Paraná, Beto Richa.

Richa está na lista da Lava Jato, também por que teria recebido propina na sua campanha eleitoral de 2010. Além disso, Richa é investigado na operação Publicano, no Paraná, que apura desvios da Receita. Também existem investigações no governo do tucano sobre desvios de recursos da educação, por meio da operação Quadro Negro. E recentemente o Superior Tribunal de Justiça autorizou a abertura de inquérito para investigar se o governador Beto está envolvido com supostas fraudes envolvendo o Porto de Paranaguá.

A nota também é assinada por alguns dos principais nomes do PSDB, a exemplo do governador Geraldo Alckmin (São Paulo) e ministros do governo Temer, como Aloysio Nunes (Relações Exteriores) e Bruno Araújo (Cidades), que já tiveram seus nomes citados na operação Lava Jato. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também aparece na lista.

 

NOTA DAS LIDERANÇAS DO PSDB

Reportagem de capa divulgada pela revista Veja desta semana com falsas acusações ao presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, gerou perplexidade em todo o país, especialmente após o advogado do delator informar que o conteúdo divulgado não faz parte da delação de seu cliente.

 O PSDB nasceu na luta pela liberdade, pela democracia, pela transparência, pela ética e pela Justiça. É por isso que defendemos a Lava Jato e o combate sem tréguas à corrupção que mina as instituições. E nessa travessia difícil e complexa um compromisso é absolutamente essencial: a busca da verdade.

Porém é inaceitável a prática de vazamentos seletivos e mentirosos que encontram eco em práticas jornalísticas pouco responsáveis. Esses vazamentos, movidos por propósitos obscuros, buscam lançar uma névoa sobre a vida pública brasileira manchando injustamente a imagem de pessoas de bem. Retiram de seus alvos o direito à ampla defesa, ferindo frontalmente a própria Constituição.

A retirada do sigilo sobre os inquéritos e delações no âmbito da Lava Jato torna-se fundamental para que a verdade possa emergir a partir do contraditório no legítimo e transparente processo judicial. E, assim, inocentes sejam preservados e corruptos, punidos. Não há democracia e República sólidas com cidadãos fragilizados em seus direitos constitucionais básicos.

Por tudo isso, nós, governadores, senadores, deputados federais e demais lideranças do PSDB, manifestamos com firmeza e indignação nosso repúdio ao ataque covarde e mentiroso sofrido pelo nosso presidente nacional, senador Aécio Neves, com base em informações falsas e absurdas.

O senador Aécio Neves tem 30 anos de dedicação à vida pública. É inadmissível a tentativa de misturá-lo com o mar de lama de corrupção sem precedentes apurado pela Lava Jato e por ele próprio denunciado em 2014.

Estamos seguros de que, ao final, ficará demonstrada a falsidade dos fatos relatados e seus autores responsabilizados.

Pela Justiça e em respeito ao Estado Democrático de Direito, assinamos:

 

Fernando Henrique Cardoso, presidente de honra do PSDB
Beto Richa, governador do Paraná
Geraldo Alckmin, governador de São Paulo
Marconi Perillo, governador de Goiás
Pedro Taques, governador do Mato Grosso
Reinaldo Azambuja, governador do Mato Grosso do Sul
Simão Jatene, governador do Pará
Paulo Bauer, Líder do PSDB no Senado
Ricardo Tripoli, Líder do PSDB na Câmara
Antonio Imbassahy, ministro da Secretaria de Governo
Aloysio Nunes Ferreira, ministro das Relações Exteriores
Bruno Araújo, ministro das Cidades

Luislinda Valois, ministra dos Direitos Humanos
José Aníbal, presidente do ITV”

(Com informações do jornal Estadão e Folha de São Paulo)

Reportagem da revista Veja:

Odebrecht depositou propina para Aécio em NY, diz delator

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s