“Richa fez besteira, paciência! O que eu vou fazer?”, declarou o presidente da Acipg

Douglas-Beto-e-Rossoni
A foto registra a homenagem da Ordem do Pinheiro que o presidente da Acipg, Douglas Taques Fonseca, recebeu do ex-governador Beto Richa (PSDB), réu em oito processos de corrupção e também do ex-chefe da Casa Civil do governo Richa, Valdir Rossoni (PSDB), que se tornou réu na Quadro Negro. (foto: Aen)

Em entrevista à Rádio T nesta quinta-feira (18), o presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (Acipg), Douglas Taques Fonseca falou sobre sua relação com o ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), que já foi preso três vezes em processos diferentes de corrupção (Rádio Patrulha, Lava Jato dos Pedágios e Quadro Negro). Mas Douglas adotou “cautela” ao falar de Richa e também do deputado Plauto Miró Guimarães (DEM), que também é réu na Quadro Negro. (Ouça a entrevista completa ao final do texto)

O presidente da Acipg mostrou irritação com as cobranças da Rádio T e do Blog da Mareli Martins sobre sua falta de posicionamento quando a corrupção está nos grupos que são convenientes a ele.

“Você (se referindo à jornalista Mareli Martins) fica me cobrando sobre o Richa, sobre o Plauto e tal, mas o Beto Richa era governador e eu por diversas vezes fui receber ele. Levei o Richa na Acipg e levei pra jantar na minha casa, acompanhado de várias lideranças. Essa era minha função, eu tinha que chegar junto, caso a cidade precisasse. O Richa fez “besteira”, paciência! O que eu vou fazer?”, declarou Douglas Taques

O presidente da Acipg saiu em defesa do deputado Plauto Miró Guimarães Filho, que é réu na operação Quadro Negro, que investiga o desvio de aproximadamente R$ 20 milhões de recursos das escolas do Paraná. “Você fica falando que teu tenho que colocar o nome do Plauto no nosso painel lá da Acipg, mas eu não posso fazer isso. Nós temos que ter responsabilidade com o que publicamos. O Plauto pisou na bola? Se é que pisou! Eu não vi nada. Não me mostraram nada, ele não foi julgado. Se eu colocar o nome dele lá, ele nos processa e quebra a Acipg”, disse Douglas Taques.

A equipe da T relembrou a entrevista concedida por Douglas Taques, no dia 07 de julho de 2017, quando ele defendeu a permanência de Temer, dizendo: “Temer é bandido, mas tem que ficar”.

“Eu falei mesmo que ele era bandido e tinha que ficar, pois é aquela história, tá no inferno se abrace com o diabo, ali era o momento”, disse o presidente da Acipg.

Ouça a entrevista completa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s