Rangel exonera 31 cargos do DEM: exonerações ocorreram depois que o partido deixou a base do governo

marcelo

Prefeito de Ponta Grossa exonera 31 cargos indicados pelo DEM. (foto: PMPG)

O prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel (PSDB) exonerou nesta quarta-feira (15), 31 cargos em comissão, que foram indicados pelo partido Democratas (DEM), que tem como nome de maior expressão o deputado estadual Plauto Miró Guimarães.

A atitude do prefeito ocorreu um dia depois do anúncio oficial do DEM em sair da base do governo de Rangel. Além disso, Plauto Miró declarou apoio ao pré-candidato ao cargo de prefeito, Marcio Pauliki (SD). Quem acompanha a política em Ponta Grossa sabe que Pauliki, Marcelo Rangel e Sandro Alex tem divergências pessoais.

Dessa forma, os cargos da Prefeitura foram exonerados por vingança política e não pela economia aos cofres públicos.  Novamente o dinheiro do povo está sendo usado como troca de favores políticos.

O DEM esteve com Rangel por sete anos e meio e deixou o governo apenas agora no ano eleitoral. Alguns comissionados de nível CC17, recebiam o salário mensal de R$ 5.117,17 e os de nível 16 recebiam R$ 4.061,85. Segundo fontes da Prefeitura de Ponta Grossa, os indicados pelo DEM representavam 10% dos cargos e custam em torno de R$ 180 mil por mês aos cofres públicos.

As exonerações estão disponíveis no Diário Oficial desta quarta-feira (15): http://www.pontagrossa.pr.gov.br/files/diario-oficial/2020-07-15-ed2879.pdf

Com tantos cargos, o DEM tinha muita influência no governo de Rangel. O deputado Plauto Miró Guimarães possui um histórico de sempre influenciar nos bastidores das eleições.

O vergonhoso de tudo isso é o velho toma-lá-dá-cá que ocorre nas negociatas para a eleição dos prefeitos.

Na primeira gestão de Marcelo Rangel, Plauto indicou João Ney Marçal Junior para o cargo de secretário de Planejamento. Marçal atuou no cargo por dois anos.

Atualmente, Plauto e João Ney são investigados na Operação Quadro, que apura o desvio de recursos da educação no Paraná.

Depois que o DEM anunciou a saída da base do governo de Marcelo Rangel, três secretários filiados ao partido disseram que estariam ao lado de Rangel. Os secretários são Paulo Barros (Meio Ambiente), Roberto Pelissari (Autarquia de Trânsito) e Eduardo Marques (CPS),

Plauto disse que os secretários tem o direito de continuar na gestão municipal, mas que para isso teriam que sair do DEM: “ou eles saem do partido ou serão expulsos”.

um comentário

  • Nossa, mas tinha 31 cargos comprados? Agora ele vai colocar outro partido nessas vagas, tanto faz mesmo a final, o povo paga a conta.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s