Gasolina e diesel ficam 5% mais caros a partir desta quarta

O reajuste nos preços dos combustíveis ocorre em meio às especulações de que os caminhoneiros podem iniciar uma greve em fevereiro. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A Petrobras vai reajustar o preço da gasolina e do diesel a partir de quarta-feira (27). De acordo com a estatal, o preço médio da gasolina vai subir em torno de R$ 0,10. É uma alta média de 5,05%. O último aumento da gasolina foi anunciado no dia 18 de janeiro.

No caso do diesel , o avanço no preço médio é de R$ 0,09, alta de quase 5%. O reajuste ocorre em meio às especulações de que os caminhoneiros podem iniciar uma greve em fevereiro.

O aumento no preço dos combustíveis tem efeito cascata, causando aumento também nos preços dos alimentos, que estão cada vez mais caros!

Para tentar minimizar os impactos com os caminhoneiros, o presidente Bolsonaro anunciou alterações no preço da tabela frete, as alterações vão resultar em um aumento médio que varia de 2,34% a 2,51%, conforme o tipo de carga e operação. Os novos preços passaram a valer no dia 19 de janeiro.

O presidente também anunciou a  que vai zerar a tarifa de importação de pneus. O imposto de importação do produto vai cair de 16% para zero. O pneu é o segundo item mais caro no custo de manutenção do caminhão.

Para a Petrobras, os valores têm como referência os preços de paridade de importação e, dessa maneira, acompanham as variações do valor do produto no mercado internacional e da taxa de câmbio, para cima e para baixo.

Segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), que reúne os importadores, o aumento anunciado pela estatal está aquém do necessário, prejudicando a concorrência. Para a associação, o reajuste deveria ocorrer com mais intensidade, de R$ 0,34 no diesel e de R$ 0,2310 na gasolina.

A estatal ressaltou, em nota, que os preços da gasolina e do diesel vendidos na bomba dos postos revendedores é diferente do valor cobrado nas refinarias. Até chegar ao consumidor são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis pelas distribuidoras, além das margens brutas das companhias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s