Chefe da Regional de Ponta Grossa confirma que vacinas da Covid-19 venceram e não foram aplicadas

Conforme você ouviu o gestor municipal (Rodrigo Manjabosco) realmente as vacinas venceram e foi aberto um processo administrativo na prefeitura para averiguar a motivação disso e sanear o que aconteceu para que não volte a acontecer”, disse Robson Xavier. (Foto: Luiz Lacerda/CMPG)

Em entrevista à Rádio Clube e ao Blog da Mareli Martins, nesta quinta-feira (25), o chefe da 3ª Regional de Saúde de Ponta Grossa, Robson Xavier, confirmou que 3 mil doses de vacinas contra a Covid-19 venceram em Ponta Grossa e não foram aplicadas. (Ouça a entrevista no final do texto)

“Conforme você ouviu o gestor municipal (Rodrigo Manjabosco) realmente as vacinas venceram e foi aberto um processo administrativo na prefeitura para averiguar a motivação disso e sanear o que aconteceu para que não volte a acontecer”, disse Robson Xavier.

Questionado sobre que setores são responsáveis pelo fato das vacinas terem vencido, o chefe da 3ª Regional afirmou que a prefeitura deve esclarecer os fatos e destacou que houve capacitação dos funcionários para o armazenamento das vacinas.

“Não se trata de procurar culpados. Falam muitas inverdades, inclusive isso vem de pessoas que poderiam contribuir e trazem desinformação. Temos um plano nacional da vacinação, teve capacitação e preparação dos profissionais. Mas acredito que o processo administrativo da prefeitura vai esclarecer essa situação”, afirmou.

Segundo Robson Xavier, a responsabilidade do armazenamento e correta aplicação das vacinas é das prefeituras e não da 3ª Regional de Saúde.

“A Regional recebe as vacinas distribui para os municípios e orientamos quanto ao uso correto das vacinas, mas o armazenamento é responsabilidade dos municípios. Ponta Grossa recebeu em torno de quinhentas mil vacinas e esse número de vacinas que venceram é muito pequeno. Lamentamos isso, mas aconteceu”, declarou Robson Xavier.

O chefe da 3ª Regional de Saúde confirmou que o mesmo problema de vacinas vencidas ocorreu em Ipiranga, município dos Campos Gerais. A população chegou a ser vacinada com os imunizantes vencidos.

“Em Ipiranga foram cento e quarenta doses vencidas e que foram aplicadas na população, mas ninguém teve efeito adverso. Seguimos a orientação da Secretaria de Saúde e do Ministério da Saúde, para que essas pessoas fossem vacinadas novamente”, destacou.

OUÇA A ENTREVISTA COM O CHEFE DA 3ª REGIONAL DE SAÚDE DE PG – ROBSON XAVIER

Secretário municipal de Saúde diz que Prefeitura está apurando o que houve com as vacinas

Secretário Municipal de Saúde diz que Prefeitura de Ponta Grossa vai apurar o caso das vacinas vencidas. (Foto: Luiz Lacerda/CMPG)

Durante as oitivas da Comissão Especial de Investigação (CEI) da Saúde, o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Manjabosco, também confirmou que as vacinas venceram e disse que a prefeitura está investigando o caso. O secretário respondeu ao questionamento da vereadora Joce Canto (PSC)

“Nós abrimos um processo administrativo para verificar o que houve com essas vacinas”, disse Manjabosco.

Deputada Mabel encaminha denúncia ao Ministério Público

“Nós queremos que a SESA apure a responsabilidade dos envolvidos imediatamente. Não é a primeira vez que é evidenciada a ineficiência da gestão da 3ª Regional de Saúde nestes últimos dois anos”, disse Mabel Canto. (Foto: Alep)

A deputada Mabel Canto (PSC) encaminhou ao Ministério Público do Estado do Paraná (MPPR) e à Secretaria do Estado da Saúde (SESA), nesta terça-feira (23), um pedido de abertura de procedimento investigativo, para apurar a denúncia recebida pela parlamentar, de que 3 mil doses de vacina contra a Covid-19, de diferentes lotes, teriam vencido em Ponta Grossa, sem terem sido disponibilizadas à comunidade.

As doses vencidas seriam de lotes remanescentes, já disponibilizados à população, entretanto a 3ª Regional de Saúde de Ponta Grossa não teria autorizado sua utilização para outro grupo elegível para a vacinação, motivo pelo qual, os imunizantes, que após descongelados tem 31 dias de validade, teriam vencido.

Em 16 de novembro, deputada  havia apresentado à SESA um pedido de informação ainda não respondido, onde questiona a veracidade da denúncia e ainda questiona como se dá a distribuição dos imunizantes para as regionais de saúde.

Segundo a denúncia recebida pela parlamentar, outra situação gravíssima teria ocorrido no município de Ipiranga, onde vários munícipes estariam sendo convocados para receberem novas doses de vacinas em razão de terem recebido doses vencidas.

“O que se estranha é que nem a Terceira Regional de Saúde ou a Prefeitura de Ponta Grossa manifestaram-se publicamente sobre a denúncia ou mesmo teriam comunicado à SESA os fatos gravíssimo ocorridos, sobre o vencimento de vacinas contra a Covid. Nós queremos que a SESA apure a responsabilidade dos envolvidos imediatamente. Não é a primeira vez que é evidenciada a ineficiência da gestão da 3ª Regional de Saúde nestes últimos dois anos”, disse Mabel Canto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s