“Quatro pessoas dominam o transporte público de Ponta Grossa”, diz o vereador Daniel Milla

e82bd0_f155b0a1b06d4a289a481ca8f2704f3a

– Segundo o vereador Antonio Aguinel (PCdoB), a Viação Campos Gerais (VCG) opera  linhas de forma irregular, pois alguns bairros surgiram depois do contrato entre o município e a empresa, em 2003, mas não houve aditivo no contrato –

Os vereadores Daniel Milla (PSDB) e Antonio Aguinel (PCdoB), participaram nesta quarta-feira (26), do jornal TNEWS, da Rádio T FM 99,9 e falaram sobre o transporte coletivo de Ponta Grossa. Milla está elaborando um projeto de lei, que visa a abertura de concorrência de empresas de transporte para as novas linhas de ônibus. O parlamentar confirmou que a Viação Campos Gerais (VCG), deverá pedir um reajuste na tarifa, em 2016. E o vereador Antonio Aguinel faz parte da Comissão Especial de Investigação (CEI) da Planinha do Tansporte Público do município e destacou os objetivos dos trabalhos.

Segundo o vereador Daniel Milla, o transporte coletivo está nas mãos de poucas pessoas. “Quatro pessoas dominam o transporte público da cidade, o empresário da Viação Campos Gerais, apenas um fiscal da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes, juntamente com o presidente da pasta, Eduardo Kalinoski e o prefeito”, afirmou Milla.  O vereador acredita que é possível colocar outra empresa, pelo menos, nas novas linhas de transporte. “A intenção não é quebrar o contrato antigo com a VCG, mas possibilitar a entrada de outras empresas, nas linhas criadas após este contrato, que não teve o devido aditivo. Acredito que o político que não aprovar isso, não quer o bem da cidade, pois trata-se de uma reivindicação da população. Se o projeto passar e o prefeito não sancionar, estará dando um tiro no pé”, concluiu o vereador Daniel Milla, que faz parte do grupo de parlamentares que apoiam o Governo Municipal.

 O vereador Antonio Aguinel destacou a função da CEI da Planilha do Transporte Coletivo. ” O nosso trabalho é analisar o total de quilômetros rodados pela VCG e o número real de usuários. Esta planilha que a empresa apresenta não mostra os números reais e sim a estimativa de quilometragem rodada e de passageiros”, explica. O vereador também disse que a VCG opera algumas linhas de forma irregularl.  “Todas as vilas que surgiram depois da assinatura do contrato, em 2003, são operadas pela VCG. No entato, não houve nenhum aditivo no contrato com a prefeitura, sendo assim, a empresa opera estas linhas de forma irregular, pois não possui a concessão destas linhas”, disse. 

 Conforme informações do vereador Antonio Aguinel, em 2014, estavam previstos na planilha da VCG, que seriam rodados 1,2 milhões de km, sendo 2,3 milhões de usuários. Mas estes são números estimados e não reais. O fato é que não se sabe ao certo qual  é a quilometragem rodada pelos ônibus da empresa e nem mesmo o número preciso de usuários.

 Vale lembrar que a quebra do monopólio com a VCG, foi uma das principais promessas do prefeito Marcelo Rangel (PPS), durante a campanha eleitoral, além da implantação do Bilhete Único, que foi uma proposta do então candidato a prefeito e hoje deputado estadual Marcio Pauliki (PDT), mas que no segundo turno das eleições de 2012, teve a adesão de Rangel. Será que isso dá pra fazer?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s