“Era uma arena muito engraçada, não tinha quadra, não tinha nada”

arena
Técnicos da Secretaria Municipal de Planejamento e  vereadores estiveram, nesta terça-feira (24), na Arena Multiuso. Com cerca de R$ 8 milhões investidos, a obra segue parada. Crédito: Cristiano Barbosa/Portal A Rede/JM

A polêmica Arena Multiuso, herança da gestão do ex-prefeito Pedro Wosgrau Filho (PSDB), segue sem as mínimas condições de funcionamento. É possível dizer que a única modalidade que pode ser desenvolvida no espaço é a corrida entre obstáculos, no caso, os inúmeros baldes e bacias, utilizados por conta das goteiras. Mas o problema não é apenas este, a obra, que de acordo com a proposta seria utilizada para grandes competições esportivas, não poderá ter este fim. Isso por que as medidas da quadra não são oficiais. Trata-se de “uma arena muito engraçada, que não tinha teto, não tinha quadra, não tinha nada”, fazendo um comparativo com a música ‘A casa’, de Vinicius de Moraes.

Para dar andamento as obras, a prefeitura está pedindo que os vereadores aprovem um crédito de R$ 2,3 milhões. Na segunda-feira (23), o pedido foi retirado para vistas. Nesta terça-feira (24), os parlamentares Pietro Arnaud (Rede Sustentabilidade), Antonio Laroca Neto (PDT), Daniel Milla (PSDB),Taico Nunes (PTN), Antonio Aguinel (Rede Sustentabilidade), Nilson Ribeiro ‘Nilsão’ (PT), juntamente com o secretário de Planejamento, Ciro Ribas, fizeram uma vistoria na Arena e detalharam o que precisa ter continuidade. “Primeiro é preciso dizer que este valor de 2,3 milhões não é suficiente para terminar a obra. São muitos os problemas e, com o tempo, a situação ficou ainda mais grave. Parte da fiação elétrica foi roubada, roubaram tomadas e outros objetos. Isso aconteceu por que a prefeitura não cuidou do local, com isso, o investimento será ainda maior”, disse o vereador Antonio Laroca Neto.

O futsal que é uma das modalidades mais praticadas no Brasil e principalmente em Ponta Grossa, em caráter competitivo, não poderá acontecer na Arena Multiuso, já que a quadra não possui medidas oficiais. ” Pelo que vimos na obra, as medidas que temos lá não condizem com as oficiais, por isso a prática desta modalidade de forma oficial será impossível”, disse o secretário municipal de Planejamento, Ciro Ribas. Ainda de acordo com o secretário a “grande piscina” também não é oficial: “a natação oficial também não poderá ocorrer pelo mesmo problema das medidas”.

Entre as obras que precisam ser feitas estão: adequações na rede hidráulica, solução para os problemas de infiltrações, instalação de nova rede elétrica e rede de gás, nova estrutura para o teto (retirada da estrutura antiga do teto), o piso da quadra também precisa ser trocado. O crédito de R$ 2,3 milhões deve estar na pauta de segunda-feira (25), na Câmara dos Vereadores. Que a obra foi uma das “heranças malditas” do ex-prefeito Wosgrau, todos estão cansados de saber. No entanto, quando compramos uma casa e sabemos que ela possui problemas, não adianta ficar culpando o antigo dono, ou seja, quando o imóvel passa a ser de nossa responsabilidade, é nosso dever resolver os problemas. Por tanto: “mãos à obra”, prefeito Marcelo rangel!

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s