“Aliel votou contra impeachment para não perder apoio de Requião e do PMDB em Ponta Grossa”, diz o deputado Rodrigo Maia

 

rodrigo maia ali requi e cunha
Deputado Rodrigo Maia (DEM), revela que o deputado Aliel Machado (Rede), votou contra o impeachment para não perder o apoio do PMDB, nas eleições para prefeitura de Ponta Grossa. Aliel estaria com medo de ficar contra o presidente do PMDB-PR, senador Roberto Requião, que é contra o impeachment. (imagem divulgação)

O deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), concedeu entrevista ao Blog da Mareli Martins nesta sexta-feira (15) e afirmou que acompanhou uma conversa entre o deputado federal Aliel Machado (Rede Sustentabilidade) e o presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), uma semana antes da votação do parecer do impeachment. Rodrigo Maia disse que ouviu Aliel dizer a Cunha “que estava sendo pressionado para votar a favor do impeachment, mas que não queria perder o apoio do PMDB, nas eleições de Ponta Grossa”. O fato é que o presidente do PMDB no Paraná é o senador Roberto Requião, que tem posição contrária ao impeachment. Se Aliel Machado votasse favorável ao impeachment, poderia perder o apoio do PMDB, em uma disputa eleitoral.  Em resposta ao Blog da Mareli Martins, Aliel Machado disse que “não utilizou o pleito eleitoral de Ponta Grossa como critério para seu voto”.

Ao falar sobre os detalhes sobre a conversa de Aliel Machado e Eduardo Cunha, Rodrigo Maia apontou que o deputado ponta-grossense estava muito nervoso e ainda indeciso. “Eu estava na sala do presidente Eduardo Cunha, quando o deputado Aliel Machado entrou para tratar de algum assunto aqui da casa, eu imagino, mas no meio da conversa, pelo que me lembro, o deputado disse que estava sendo pressionado a votar favorável ao impeachment. Inclusive ele afirmou que estava sendo pressionado até pela sua mãe. E também disse que tinha medo de votar a favor do impeachment e, com isso, perder o diretório do PMDB em Ponta Grossa, já que é pré-candidato a prefeito. Ele também falou que não queria perder o apoio do senador Requião, que é contra o impeachment”, relatou o deputado Rodrigo Maia. (ouça a gravação ao final da matéria)

Rodrigo Maia destacou também que foi o próprio Aliel Machado que procurou Eduardo Cunha. “Aliel não foi procurado, ele é que procurou a presidência. Lembro que foi dito ao deputado, que se ele votasse a favor do impeachment, não teria por que o PMDB prejudicá-lo. Foi isso que ouvi e tinham mais pessoas na sala. Não posso falar de outras conversas por que não acompanhei”, concluiu o deputado Rodrigo Maia (DEM). (ouça a gravação ao final da matéria)

Em entrevista ao Blog da Mareli Martins, o deputado Aliel Machado disse que não procurou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha e que apenas foi até o gabinete da presidência, para pedir a liberação da entrada de algumas pessoas, que estavam sendo impedidas de acompanhar a sessão. “Na semana passada ou retrasada tinha uma sessão que discutia a saúde e estavam proibindo vários professores e pesquisadores de entrarem no plenário. Fui até o gabinete da presidência, falei com o chefe de gabinete, para que liberassem a entrada destas pessoas. Mas ele disse que não poderia liberar e apenas quem poderia fazer isso seria o Eduardo Cunha. Depois disso, o chefe-de gabinete falou com o Cunha, que me pediu para entrar em sua sala. Falei com ele e ele liberou a entrada daquelas pessoas”, explicou. (ouça a gravação ao final da matéria)

De acordo com Aliel Machado, durante a conversa o próprio Cunha teria tocado no assunto do impeachment. “Ele me perguntou sobre o impeachment, eu disse que estava analisando e que o relatório teria que ser analisado com profundidade e depois eu tomaria a melhor decisão. O Cunha me disse que se eu votasse contra não andaria mais em Ponta Grossa e que também perderia apoio, caso fosse candidato a prefeito. Eu disse que as eleições seriam discutidas depois”, afirmou o deputado. (ouça a gravação ao final da matéria)

Eduardo Cunha teria dito a Aliel Machado que votando contrário ao impeachment, ele perderia possíveis apoios para as eleições municipais. “Ele disse que eu perderia apoio. Eu até disse, inclusive do PMDB.  Mas não vi a conversa como nenhum tipo de ameaça e eu disse que iria fazer o que estava na minha consciência e o que fosse correto. Foi uma casualidade essa conversa com o Cunha, eu não o procurei para discutir isso. Eu não negocio e ainda mais com esse tipo de gente. O Eduardo Cunha não merece respeito e nem credibilidade. Lógico que não foi esse o motivo, pois se eu estivesse pensando em eleição, não teria votado contra o impeachment”, disse.

Ouça as duas entrevistas:

Deputado federal, Rodrigo Maia (DEM)

Deputado federal Aliel Machado (Rede Sustentabilidade):

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s