Assessores dos deputados João Arruda e Sérgio Souza aparecem na operação ‘Carne Fraca’

deputados e assessores
Na foto os deputados João Arruda (PMDB-PR) e Sérgio Souza (PMDB-PR) e os assessores Heuler Iuri Martins e Ronaldo Troncha.
Quando falamos em denúncias de corrupção a situação do PMDB é a cada vez pior. O ministro da Justiça, Osmar Serraglio foi interceptado em um grampo da Polícia Federal, na operação ‘Carne Fraca’, que investiga venda ilegal de carne. E também aparecem na investigação os nomes de assessores parlamentares do PMDB, do Paraná. Entre eles, Heuler Iuri Martins, assessor do deputado federal João Arruda e Ronaldo Troncha, assessor do deputado federal Sérgio Souza. Os dois foram alvo de medidas de condução coercitiva e busca e apreensão nesta sexta.
Segundo o jornal Folha de São Paulo Heuler Iuri Martins, assessor do deputado João Arruda, foi interceptado em gravações demonstrando interferir em prol dos interesses de frigoríficos no afastamento de fiscais que se demonstravam rigor nas fiscalizações.
Ronaldo Troncha, assessor de Sérgio Souza, também aparece nas gravações. Ele teria proximidade com um dos fiscais investigados, Daniel Gonçalves Filho, e chega a receber o login e senha do servidor para acessar o sistema de procedimentos administrativos do Ministério da Agricultura. Troncha ainda recebeu duas transferências, no valor total de R$ 10 mil, de Gonçalves Filho, entre 2009 e 2011. A suspeita, segundo a PF, é que ele atue em defesa dos frigoríficos, em parceria com o fiscal.
O que dizem os deputados:
 João Arruda
O deputado João Arruda se posicionou sobre o caso. O deputado conversou com Blog da Mareli Martins e com Rádio T. Segundo ele, o seu assessor apenas prestou um depoimento e que está disponível para prestar informações à Polícia Federal. “Ele foi surpreendido com a Polícia Federal e eu também, mas ele foi levado para prestar depoimento como testemunha no caso e que existiam indícios de ligações dele com fiscais do ministério da Agricultura do Paraná, foi o que eu entendi. Não vejo nada demais nessa relação que se estabelece com o mandato parlamentar e ao meu assessor. Nós fomos procurados várias vezes pelo setor para atender demandas do setor produtivo, a agropecuária  é muito forte e nos procura também, mas não vejo nenhum problema. Ele prestou depoimento e está à disposição da Justiça Federal”.
Sérgio Souza
Em nota, o deputado Sérgio Souza esclareceu hoje que Ronaldo Troncha, que aparece nas gravações que desencadearam a Operação Carne Fraca da Polícia Federal, não é mais seu assessor desde o ano passado, e que os fatos datam da época em que o mesmo não trabalhava em seu gabinete. “No período que foi assessor, Ronaldo desempenhou suas funções com dedicação e, até onde o conheço, é pessoa ilibada e responsável ”, afirmou o parlamentar.
Nota do ministro Osmar Serraglio
Em nota, o ministro da Justiça afirmou que a operação é um exemplo “cabal” de que respeita a autonomia da PF e que soube da citação de seu nome na investigação “como um cidadão comum”.
“Se havia alguma dúvida de que o ministro Osmar Serraglio, ao assumir o cargo, interferiria de alguma forma na autonomia do trabalho da Polícia Federal, esse é um exemplo cabal que fala por si só”, diz a nota.
“A conclusão tanto pelo Ministério Público Federal quanto pelo juiz federal é a de que não há qualquer indício de ilegalidade nessa conversa degravada”, acrescenta a nota.
(Com informações do jornal Folha de São Paulo)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s