Vereadores de PG reclamam sobre falta de informações, mas aprovam parcelamento do FGTS

33293410003_57e2d45c68_z
Por 18 votos a cinco, Câmara de Ponta Grossa aprovou o parcelamento de R$ 26 milhões do FGTS. (Foto: CMPG)

O projeto encaminhado pelo prefeito Marcelo Rangel (PPS) de parcelamento de R$ 25,9 milhões do não recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) dos funcionários públicos, passou com facilidade na Câmara dos Vereadores de Ponta Grossa nesta segunda-feira (17).

Foram 18 votos favoráveis e somente cinco contrários. Apenas os vereadores George Luiz de Oliveira (PMN), Pietro Arnaud (Rede), Ricardo Zampieri (SD), Magno Zanellato (PDT) Geraldo Stocco (Rede) votaram contra. O vereador George tentou retirar a proposta da votação, pedindo vistas, mas foi vencido.

O montante de R$ 25,9 milhões foi parcelado em 60 vezes, ou seja, a conta vai ficar para a próxima gestão. De acordo com o projeto, R$ 7,2 milhões são do não recolhimento do FGTS na gestão do ex-prefeito Pedro Wosgrau Filho (PSDB). E R$ 18 milhões são referentes ao governo de Marcelo Rangel (agosto de 2015 a fevereiro de 2017)

Muitos vereadores disseram que não tiveram informações suficientes sobre o projeto, fizeram críticas e, mesmo assim, votaram a favor da proposta de Rangel.

O vereador Geraldo Stocco criticou o governo pela falta de uma gestão eficiente, chegou a falar que votaria a favor do projeto, mas no final votou contra. “É inadmissível esse argumento do governo de que as gestões passadas ficaram devendo e então essa gestão também pode ficar devendo. Eu estou votando a favor pensando no funcionário, pelo direito dele, mas quero registrar esse repúdio a falta de organização do Executivo”, declarou Stocco. Vale dizer que o FGTS é um direito adquirido de qualquer trabalhador. Mas o vereador refletiu e votou contra o projeto.

Outro que criticou a falta de informações sobre o parcelamento, mas também votou a favor, foi o vereador Florenal. “O secretário de Finanças deveria explicar se tem legalidade o parcelamento ou não, nós não temos obrigação de saber a parte jurídica do parcelamento, mas vou fazer mais uma vez a minha parte e colaborar com a prefeitura”, disse.

O vereador George de Oliveira tentou retirar para vistas o projeto, mas foi derrotado pelos vereadores da bancada do governo. Segundo o vereador, além de parcelar, a prefeitura não vai pagar a conta. “Eu tenho certeza absoluta que essa dívida será parcelada, mas não será paga. O prefeito está empurrando coma barriga, vai deixar para os sucessores, não vai virar bom pagador da noite para o dia”, afirmou George.

O fato é que muitos vereadores não sabiam nem o que estavam votando e mesmo assim aprovaram o projeto. Neste sentido nunca é demais questionar, para que servem mesmo os vereadores?

Veja como votaram os vereadores:

Favoráveis:

Sebastião Mainardes

Daniel Milla

Divonsir Pereira “Divo”

Domingos Barboza “Mingo”

Celso Cieslaki

Ezequiel Bueno

João Florenal

Rogério Mioduski

Paulo Balansin

Roseli Aparecida

Vinicius Camargo

José Carlos Raad “Dr. Zeca”

Rudolf Polaco

Guiarone de Paula “Sgto Guiarone”

Jorge da Farmácia

Kalinoski

Felipe Passos

Leli

Contrários

George de Oliveira

Geraldo Stocco

Ricardo Zampieri

Magno Zanellato “Dr. Magno”

Pietro Arnaud

(Obs: vereador Walter de Souza está de licença para tratamento de saúde)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s