Ricardo Barros deixa Ministério da Saúde na terça para concorrer ao sexto mandato à Câmara Federal

ricardo barros
No retorno à Câmara Federal, Ricardo Barros vai disputar à Presidência da Comissão de Orçamento. (foto: Mareli Martins)

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, deixará o cargo na próxima terça-feira (27), para que possa concorrer à reeleição ao cargo de deputado federal pela sexta vez. Barros assumiu a pasta da Saúde em maio de 2016. Em entrevista exclusiva à Rede T e ao Blog da Mareli Martins neste sábado, Ricardo Barros afirmou que “a saúde pública ainda tem grandes desafios”. E destacou que foram muitos avanços, incluindo R$ 5 bilhões em economia e a informatização do Sistema Único de Saúde (SUS). (Ouça a entrevista completa no final da matéria)

Ricardo Barros também falou sobre as eleições ao governo do Paraná, com a candidatura da sua esposa, a vice-governadora, Cida Borghetti (PP). Barros demonstrou confiança de que Cida terá o apoio do governador Beto Richa (PSDB).

Sobre a sua gestão no Ministério da Saúde, Ricardo Barros destacou como seu legado o processo de informatização do SUS e deixou claro que se o próximo ministro continuar nesse caminho haverá mais economia no sistema e isso possibilitará novos investimentos. “O balanço que eu faço é positivo. Acredito que fiquei pouco tempo para as transformações que a saúde precisa. Mesmo assim, acredito que foram muitos avanços. Foram cinco bilhões em economia que foram aplicados em mais recursos na saúde. Na informatização hoje temos 18 mil unidades básicas de saúde com prontuário eletrônico, eram 11 mil quando assumi o ministério. Esse é um avanço significativo”.

Para Ricardo Barros três ações precisam ter continuidade para que os investimentos sejam maiores na área de saúde: informatização, valorização dos funcionários da saúde e o empoderamento de cada município.

“A informatização é palavra de ordem, com biometria dos usuários e dos funcionários, garantindo a conectividade de todos. Isso gera uma economia de vinte bilhões de reais. Essa medida é fundamental. A próxima ação é a formação dos agentes comunitários de saúde, a valorização dos recursos humanos do ministério da saúde. E também o empoderamento de cada município”, destacou o ministro Ricardo Barros.

Gilberto Occhi dever assumir o Ministério da Saúde

occi
Gilberto Occhi deverá assumir o  Ministério da Saúde. (foto; divulgação)

A tendência é que o próximo ministro da Saúde seja Gilberto Occhi, que também é do PP de Ricardo Barros. Gilberto ocupava o cargo de presidente da Caixa Econômica Federal.

“O Gilberto é um bom gestor público. Já foi ministro da integração, das cidades, presidente da Caixa Econômica. É um bom gestor e é um quadro do partido”, destacou Ricardo Barros.

Barros e Cida anunciam novo Tecpar em Ponta Grossa neste domingo

barros e cida
Barros e Cida anunciam neste domingo (25) R$ 33 milhões para a fabricação de medicamentos sintéticos em Ponta Grossa. (foto: divulgação)

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, e a vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti, anunciam, no domingo (25), o investimento de R$ 33 milhões na modernização da unidade do Tecpar dentro da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Os recursos do Ministério da Saúde vão transformar a cidade de Ponta Grossa em um polo farmacêutica. A unidade do Tecpar vai produzir medicamentos sintéticos de alto valor agregado que serão fornecidos ao SUS.

A estrutura terá escala industrial, com capacidade de produção de 200 milhões de comprimidos/ano e 100 milhões de cápsulas/ano, quantidades suficientes para suprir a demanda do Ministério da Saúde. A cerimônia está marcada para as 16h do domingo no campus da UEPG.

Eleições: PSB poderá apoiar Cida Borghetti na disputa do governo do Paraná

Na próxima segunda-feira (26), em Curitiba, haverá uma reunião entre a bancada federal do PSB e os deputados estaduais. O encontro contará com a presença do presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira. E tudo indica que o partido vai declarar apoio à candidatura de Cida Borghetti (PP), na disputa do governo do Paraná.

“Nós já estivemos conversando com o Carlos Siqueira (presidente nacional do PSB), juntamente com os deputados Aliel Machado, Luciano Dutti e Leopoldo Meyer. Eu estive conversando com os deputados estaduais e eles estiveram reunidos com a vice-governadora Cida. Existe sim a possibilidade de que com a desistência de Osmar Dias de se filiar ao PSB, o partido decida pelo caminho de apoiar à reeleição da primeira mulher governadora do Paraná, Cida Borghetti. Acredito que ela assumindo o governo será a favorita à reeleição”, afirmou Ricardo Barros.

Nós próximos dias o governador Beto Richa (PSDB) vai oficializar a sua decisão sobre renunciar e também se vai concorrer ao Senado. E Richa também deverá declarar se vai apoiar Cida ou Ratinho Jr. (PSD).

Ricardo Barros disse que a candidatura de Cida Borghetti vai acontecer independente da decisão do governador.  “A candidatura da vice-governadora está consolidada. E nós esperamos que sendo ela a vice-governadora o governador possa dar apoio, pois é o governo que está estabelecido. Inclusive o deputado Ratinho Junior, que foi secretário de desenvolvimento, que foi secretário de desenvolvimento, sendo prestigiado pelo governo todos os anos. Sendo assim, certamente ele vai considerar apoiar a vice-governadora diante de todo o espaço que lhe foi dado no governo”, afirmou o ministro.

Ouça a entrevista completa!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s