Servidores do Paraná ocupam a Assembleia Legislativa e exigem pagamento da data-base

WhatsApp-Image-2019-07-09-at-17.42.29-960x540
“Sem a data-base ninguém sai”, gritaram os servidores. Foto: Daiane Andrade/Gazeta do Povo)

Os servidores públicos ocuparam as galerias da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) nesta terça-feira (9) e reivindicaram a data-base que está congelada há quatro anos. Antes disso, os servidores realizaram um ato unificado no Centro Cívico, em Curitiba. Parte do funcionalismo está em greve desde o dia 25 de junho.

Cerca de quatrocentos servidores estavam credenciados para acompanhar a sessão desta terça-feira. Os manifestantes bloquearam os acessos ao plenário e ocuparam os corredores da Alep. Os funcionários pediram a saída do secretário de Educação, Renato Feder.

A confusão começou mesmo após o discurso do deputado Ricardo Arruda (PSL), que defendeu a proposta de Ratinho Junior do reajuste apenas dos últimos doze meses e parcelado em quatro anos (até 2022).

O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), a suspendeu a sessão por alguns minutos. A sessão foi retomada quando os servidores se acomodaram nas galerias, mas encerrou rapidamente.

Mesmo depois do encerramento da sessão, servidores continuaram nas galerias da Alep.

A sessão desta quarta-feira (10) está marcada paras às 9 horas e deverá ser a última antes do recesso dos deputados. E novamente os servidores deveram marcar presença.

A proposta do governo de Ratinho Junior

O governo do Paraná apresentou outra proposta nesta segunda-feira (8) aos servidores públicos. O Executivo propôs o pagamento de reposição de 2% em janeiro de 2020 e o restante parcelado até 2022, de acordo com o cronograma original. Mas os servidores rejeitaram a proposta, após reunião entre governo e representantes do Fórum das Entidades Sindicais (FES/PR), no Palácio Iguaçu, em Curitiba.

A proposta inicial contemplava o pagamento de 0,5% a partir de outubro deste ano e mais 1,5% a partir de janeiro do ano que vem. Outro 1,5% será aplicado em janeiro de 2021, no caso de a receita corrente líquida (RCL) do Estado no ano anterior tenha crescido pelo menos 6,5%.

O restante, ou mais 1,5%, incidirá em janeiro de 2022, desde que a receita tiver apresentado crescimento mínimo de 7% nos doze meses anteriores. O índice é superior à inflação de 4,94% dos últimos doze meses – maio de 2018 a abril de 2019.

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), Ademar Traiano (PSDB), afirmou na tarde desta segunda-feira (8) que a proposta do governo de reajuste aos servidores, de 5,09% em quatro etapas, será discutida somente após o recesso parlamentar, em agosto deste ano.

“A ideia era pautarmos esse projeto ainda hoje, mas parece que há um processo de negociação com o governo. A liderança do governo me pediu para que a gente não colocasse na pauta. Imagino que vamos tratar deste assunto só no mês de agosto”, disse Traiano.

Veja a manifestação no vídeo do Maringá Post:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s