Gaeco cumpre mandados de prisão contra vereadores, secretários municipais e empresários de Ponta Grossa

Gaeco faz operação contra fraude e corrupção no Estar Digital de Ponta Grossa. (Foto: Divulgação/Gaeco)

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná cumpre na manhã desta terça-feira (15), cinco mandados de prisão preventiva, dois mandados de prisão temporária e 22 mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Saturno, que investiga possíveis crimes de corrupção ativa e passiva, fraude a licitação e tráfico de influência supostamente praticados por empresários, servidores públicos e vereadores de Ponta Grossa.

De acordo com o MP, a operação investiga possíveis crimes de corrupção ativa e passiva, fraude a licitação e tráfico de influência. Há indícios de irregularidades na contratação de uma empresa pela Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes do Município (AMTT) para implantação do Estar Digital e para a compra de software pela Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar), entre os anos de 2016 e 2020. Além disso, o MP investiga possível prática de manipulação e corrupção de vereadores em uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada para apurar as licitações.

Os alvos dos cinco mandados de prisão preventiva são quatro empresários e o vereador Valtão (PRTB), relator da CPI. Já as prisões temporárias foram decretadas contra o presidente da AMTT, Roberto Pelissari, e contra o parlamentar Ricardo Zampieri (Republicanos), presidente da CPI. Os empresários estão ligados à empresa que venceu a licitação para operar o Estar Digital em Ponta Grossa, a Cidatec.

O Gaeco cumpriu também cumpriu mandados de busca e apreensão nos gabinetes de outros três vereadores que integram a CPI do Estar Digital: Pastor Ezequiel Bueno (Avante), Vinicius Camargo (PSD), Sargento Guiarone (PRTB).

Dos 22 mandados de busca e apreensão, 18 são cumpridos em Ponta Grossa e quatro em Curitiba. No prédio da prefeitura de Ponta Grossa, os agentes fazem buscas no gabinete do secretário de Administração e Recursos Humanos, Ricardo Linhares, que é tio do prefeito Marcelo Rangel (PSDB). . Na Câmara, os mandados são cumpridos nos gabinetes de cinco vereadores. Além disso, são alvo do Gaeco a AMTT, três empresas e 16 residências, pertencentes a empresários e servidores públicos.

Em instantes mais informações!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s