Depois de servidora ser agredida na UPA Santana, Guarda Municipal fará segurança, diz Prefeitura de PG

Uma servidora foi agredida por um paciente que estava bêbado. E não é a primeira vez que ocorrências graves são registradas no local. (Foto: PMPG)

Finalmente a Prefeitura de Ponta Grossa decidiu deslocar guardas municipais para atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santana. Novamente o local foi palco de confusão nos últimos dias. Uma servidora foi agredida por um paciente que estava bêbado. E não é a primeira vez que ocorrências graves são registradas no local.

No mês de julho, o Sindicato dos Servidores Municipais denunciou um caso de tentativa de estupro. O Sindicato já havia solicitado a presença da Guarda Municipal (GM), pois o local não possui monitoramento, mas a prefeitura negou o pedido. Mas no mesmo mês profissionais da GM foram deslocado para a Câmara dos Vereadores, pois os parlamentares tem medo dos protestos da população.

Porém, diante da situação, a Prefeitura de Ponta Grossa informou que a GM fará a segurança da UPA Santana. “Foi registrado um caso lamentável nos últimos dias, com uma servidora sendo agredida dentro daquela unidade. Já cuidamos do ajuste das condições, com a secretaria de Cidadania e Segurança Pública, Tânia Sviercoski, por determinação da prefeita Elizabeth Schmidt, para evitarmos a repetição dessas situações tristes e garantir condições aos nossos colaboradores”, relata o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Rodrigo Manjabosco.

A secretária de Cidadania e Segurança Pública, Tânia Sviercoski, afirmou que é inviável manter a guarda permanentemente dentro da UPA Santana, mas essa é a solução temporária possível: “garantir segurança aos que precisam de atendimento e  buscam a UPA é essencial”.

Até a instalação de câmeras de monitoramento e de alarmes, equipes da Guarda Municipal estarão se revezando para garantir segurança de pacientes e servidores da UPA.

De acordo com a secretária, em poucas semanas deve ser implantado naquele local um sistema de vigilância remota efetivo, com câmeras integradas à Central de Monitoramento da Guarda Municipal, bem como dispositivos similares ao ‘botão do pânico’, suficientes para acionar as equipes de reação rápida da Guarda.

“É imprescindível que o servidor e o cidadão que busca as unidades de saúde sinta-se seguro e saiba que está sendo monitorado. Nossos guardas estão preparados, equipados e aptos para intervir sempre que necessário. Os ajustes que estamos tratando neste momento vão facilitar o acionamento da Guarda Municipal em caso de necessidade, com pronta resposta e efetividade”.

Matéria relacionada:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s