Professor Gadini é indicado como vice do Psol na disputa ao governo do Paraná

Professor Gadini, de Ponta Grossa, pode ser candidato ao cargo de vice-governador do Paraná. pelo Psol (Foto: Assessoria)

O Partido Socialismo e Liberdade (Psol) busca manter a pré-candidatura da professora Angela Alves Machado, na disputa do governo do Paraná. Angela é professora da rede estadual de ensino, com 24 anos de atuação.

E outro professor teria sido convidado para compor a chama como pré-candidato ao cargo de vice-governador. Trata-se de Sérgio Luis Gadini, docente do curso de Jornalismo, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Gadini possui mais de 25 anos de atuação como professor.

Engajado aos movimentos sociais, Gadini já disputou duas eleições à prefeitura de Ponta Grossa.

Em 2016, Gadini somou 12.214 votos (6,93) e ficou na quarta posição. No ano de 2020, o professor ficou na terceira posição, com 5.029 votos (3,04%).

“Apresentar uma candidatura própria é importante para discutir um programa independente, fundamentalmente para que a população conheça o Partido a partir das propostas para uma gestão democrática e responsável na gestão do dinheiro, em defesa da ampliação e melhoria dia serviços públicos, que hoje é um dos grandes problemas vivenciados pela maioria da População”, disse Gadini ao Blog da Mareli Martins.

Mandato coletivo do Psol em PG anunciou apoio para Roberto Requião

Desde o ano de 2021, os integrantes do mandato coletivo do Psol, na Câmara de Ponta Grossa, anunciaram apoio ao pré-candidato Roberto Requião.

Mas o professor Gadini disse que não se trata de “racha” e que o partido vai definir isso na convenção estadual.

“Não há racha no Psol. É a conferência estadual, que será realizada em breve e deve confirmar candidatura própria ao governo do Paraná em 2022. Até lá, sim, algumas pessoas podem até pensar em apoiar candidatura fora do Partido. Mas, pela projeção, maioria do Psol deve aprovar a candidatura da professora Angela Machado ao governo”, afirmou.

Gadini destacou que o seu nome para compor a chapa majoritária foi uma indicação de um grupo do partido na esfera estadual

“A indicação do meu nome para eventual composição da chapa majoritária é iniciativa de um grupo que, por acaso, tem maioria no partido em nível estadual, e cabe aos interessados diretos avaliar, como estou fazendo em diálogo com diferentes setores. Não cabe ao coletivo ou outro grupo opinar, pois convite não foi a eles”.

O representante do mandato coletivo do Psol em Ponta Grossa, Guilherme Mazer, disse que a decisão em apoiar Requião ao governo, não é algo isolado e sim a posição de diversas lideranças do partido.

“A decisão que tivemos de apoiar o Requião, no ano de 2021, não é decisão apenas do mandato coletivo do Psol de Ponta Grossa, várias lideranças e dirigentes pensam da mesma forma. É um  movimento nacional que busca a união das esquerdas”, disse Guilherme Mazer, do mandato coletivo do Psol.

Guilherme destacou o trabalho do professor Gadini e disse que o Psol vai definir os rumos na conferência estadual. “O professor Gadini tem cumprido papel fundamental no Psol municipal, inclusive contribuiu para a eleição do mandato coletivo na Câmara, então é legítima a decisão dele. Vale dizer que o Psol ainda não definiu sobre as eleições no estado, se teremos candidatura própria ou não. Isso será decido na conferência estadual, possivelmente no próximo mês”, disse Guilherme Mazer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s