“Se colocar o Beto Richa e o Álvaro Dias dentro de um saco e jogar no rio, perdemos o saco”, diz a servidora pública

Crédito de imagem: Portal do Paraná
Crédito de imagem: Portal do Paraná

Revoltados com as atitudes do governador Beto Richa (PSDB) em relação a Educação no Paraná, professores do Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (SINDUEPG) e da APP-Sindicato de Ponta Grossa e outros servidores do Estado, protestaram  contra Richa, nesta terça-feira (21), durante a inauguração  de 11km da duplicação da BR 376 (entre Ponta Grossa e Apucarana). Antes, os servidores tentaram participar da inauguração de uma Estação de Tratamento da Sanepar, nas proximidades da Av Monteiro Lobato, mas foram barrados pela Policia Militar e pela direção da empresa. 

 Na chegada para a inauguração das obras da duplicação, Richa e a comitiva formada pelo deputado Plauro Miró (DEM), o prefeito Marcelo Rangel (PPS) e outros aliados do tucano, foram recepcionados por servidores públicos que gritavam “Sou baderneiro da educação, mas nunca andei de camburão”. 

Abordado pela  presidente do Núcleo Sindical da APP de Ponta Grossa, Vera Rosi, o governardor disse que o seu governo paga um dos melhores salários aos professores. “Dei aumento salarial de 60% em quatro anos para os professores. Além disso, o salário do professor do Paraná é um dos melhores do país”, afirmou. 

A professora Vera Rosi rebateu dizendo que isso não é aumento. “Trata-se de plano de carreira, governador! Não houve aumento de 60%. Isso é lei, embora o senhor não seja acostumado a cumprir leis”, afirmou. Nervosinho, Beto Richa, mais uma vez, fugiu do diálogo. “Não tem como falar com os senhores, pois são da CUT e do PT. O que que querem é confusão”, disse o governador.

 Mas antes de subir ao palco para falar sobre a obra que seria lançada, certamente, Beto Richa, ouviu o grito da servidora de um colégio de Ponta Grossa, Maria Costa, que comparou Richa ao senador e ex-governador do Paraná, Álvaro Dias, também do PSDB. “O senhor e Álvaro Dias são iguais. Se pegar os dois e colocar num saco e jogar no rio, perdemos o saco e o tempo de levar até o rio”, gritou a servidora.

A comparação da funcionária pública é por que no dia 30 de agosto de 1988, na gestão do ex-governador Álvaro Dias (PSDB), atualmente senador, em uma ação truculenta do Governo do Estado, policiais militares avançaram com cavalos, cães e bombas de efeito moral contra uma multidão de docentes que protestava por melhores salários e condições de trabalho na Praça Nossa Senhora de Salette, em Curitiba. E no dia 29 de abril de 2015, a cena praticamente se repetiu e, mais uma vez, a mando do Governo do Paraná.

Crédito de imagem: SINDUEPG
Crédito de imagem: SINDUEPG
Crédito de imagem; Clarison Kawa
Crédito de imagem; Clarison Kawa

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s