Richa e Plauto são recebidos com protestos dos professores em PG

foto 1 protesto
Na inauguração da trincheira da Ernesto Vilela, em Ponta Grossa, Beto Richa e aliados são alvo de protestos dos servidores estaduais. Imagem: Regis Clemente da Costa e divulgação.

O governador Beto Richa (PSDB) inaugurou neste sábado (13) a trincheira da Avenida Ernesto Vilela, no trecho que passa sob a PR 151, em Ponta Grossa.  Richa foi recebido pelos professores e demais servidores públicos estaduais de uma maneira “nada calorosa”. Além do governador, foram alvos dos protestos o deputado e primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), Plauto Miró Guimarães Filho (DEM), o deputado federal Sandro Alex (PPS), o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Júnior, o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes e o prefeito Marcelo Rangel (PPS). Policiais militares e seguranças do Governo do Estado fizeram um bloqueio e conseguiram impedir que os manifestantes chegassem perto de Beto Richa e dos outros políticos citados. Mas mesmo longe do palanque das autoridades, os professores não se calaram e os gritos foram ouvidos. As manifestações foram organizadas pelo Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Sinduepg) e pelo Núcleo Sindical de Ponta Grossa (APP-Sindicato). Em resposta aos protestos, Richa disse que tudo foi articulado pelo PT.

Os professores levaram faixas que representaram a insatisfação com o governo de Beto Richa e todos aqueles que dão apoio ao tucano. Estas foram algumas das frases: “deputado da corrupção não tem voto da educação”, “Governador! Deputados! Prefeitos! Eleitos com dinheiro da educação! Vergonha!”, “Plauto Miró, educação não combina com corrupção”, “Fora Beto Richa”, “Beto Richa ladrão”.

A professora Séfora Regiane Ferreira ficou indignada por ser impedida de chegar perto do govenador. “Nós gostaríamos de estar mais perto do governador, mas fomos proibidos por que estamos nos manifestando contra o governo. Nós queremos lembrar o massacre do dia 29 de abril e pedir para que o governador não assalte mais a previdência dos servidores”, disse a professora. Segundo a professora Selma Dutski, o protesto se estende a todos que apoiam Beto Richa. “Todos aqueles que apoiam esse governador tem nosso repúdio, como prefeito de Ponta Grossa, o deputado Plauto, o  deputado Sandro e todos os que votam contra a educação”, destacou.

O governador Beto Richa (PSDB) afirmou, ao Blog da Mareli Martins, que as manifestações não são dos professores e sim de sindicalistas do PT. “Isso é coisa do sindicato petista que quer bagunçar o jogo”, disse o governador.

Veja como foi a manifestação:

5 comments

  1. Este tal Beto Richa não tem outra coisa para responder???Somente repetir PT??Eram os professores sim sr Governador. Se o sr tivesse fazendo a coisa certa não necessitaria da polícia. Alem de não ter o que falar o sr demonstra ser apenas um covarde. A mesma covardia que os sr proporcionou no dia 29/04 juntamente com a turma do camburão.

    Curtida

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s