Docentes da UEPG preparam atividades para relembrar o massacre de 29 de abril

massacre oficial
Um ano depois, as feridas do massacre do dia 29 de abril, ainda não cicatrizaram. O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), será o principal alvo das manifestações. (Imagem: site Brasil 247)

O Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Sinduepg, promove a partir desta quarta-feira, 27, atividades para relembrar massacre de 29 de abril, ocorrido há um ano, em Curitiba. Na sexta-feira, dia 29, as aulas na UEPG estarão paralisadas.

No episódio, professores, estudantes, agentes penitenciários e integrantes de movimentos sociais foram atacados com balas de borracha, bombas, cassetetes e spray de pimenta. A ação foi conduzida pela polícia, com autorização do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB). Os servidores estavam na capital em luta contra a reforma da previdência.

Para debater sobre esses acontecimentos, o Sinduepg promove na quarta-feira, 27, o painel “massacre do Centro Cívico um ano depois: violência e repressão aos movimentos sociais”.

A mesa de palestrantes será composta pela professora do ensino superior, Gisele Masson, pelo professor do ensino básico, Ismael Augusto do Matto e pela integrante do MST, Sandra Mara Maier.  O evento acontece às 19 horas, no Auditório do PDE, no Campus Uvaranas.

Na sexta-feira, data em que o massacre completa um ano, o sindicato promove atividades durante o dia todo. Pela manhã, a partir 7h30 será feita panfletagem nas entradas do Campus Central e Uvaranas. Na sequência, às 9h30 um ato em defesa da Universidade pública e gratuita e contra os inimigos da educação será realizado em frente a Reitoria, no Campus Uvaranas.

No período da tarde as atividades começam às 13h30, na Central de Salas, onde serão feitas uma série de atividades e apresentações culturais. Às 16h os docentes se reúnem para fazer um ato público em defesa dos professores e estudantes, e contra as políticas de desmonte da educação pública. A atividade será em frente à igreja dos Polacos.

Para finalizar, às 19h30, no Grande Auditório da UEPG será exibido o documentário ‘El pueblo que falta’, com a presença do diretor, André Queiróz, seguido por debate sobre os movimentos de resistência.

(Informações: Sinduepg)

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s