“Não me arrependo de nada”, diz Traiano – sobre violência contra os servidores no dia 29 de abril de 2015

traiano 6
“O que aconteceu externamente não é da minha responsabilidade. Não me arrependo de nada”, declarou Traiano. (foto: Dálie Felberg/Alep)

Durante entrevista coletiva nesta segunda-feira (29), o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), Ademar Traiano (PSDB), falou sobre o que aconteceu há quatro anos, no episódio chamado pelos servidores de ‘massacre do Centro Cívico’. Naquela data, mais de 200 pessoas ficaram feridas enquanto protestavam contra a utilização do fundo previdenciário para o pagamento de dívidas feitas pelo governo de Beto Richa (PSDB). (Ouça a declaração de Traiano ao final do texto)

“Eu não mudaria nada, pois quando tomei a decisão, tomei respaldado pela decisão da justiça e o objetivo era a proteção do patrimônio público. Agora, o que aconteceu externamente não é da minha responsabilidade. Não me arrependo de nada”, declarou Traiano.

No dia 29 de abril de 2015, com um verdadeiro “tratoraço” e apoio de 31 dos 54 deputados estaduais, o ex-governador Beto Richa (PSDB) conseguiu aprovar na Alep, o projeto de lei que mudou a fonte de pagamento de mais de 30 mil beneficiários para o Fundo Previdenciário. E que garantiu que o governo Richa utilizasse recursos do fundo previdenciário para o pagamento de dívidas feitas pelo próprio governo

Com o projeto, a conta dessas aposentadorias passou a ser dividida com os próprios servidores, já que o fundo é composto por recursos do Executivo e do funcionalismo.

Enquanto deputados votavam o projeto na Alep, protegidos por um número significativo de policiais militares e outros agentes de segurança, atos de violência aconteceram do lado de fora.

Por ordem do governo de Beto Richa, que tinha como secretário de Segurança Pública, o agora deputado estadual, Fernando Francischini (PSL), houve ações violentas da Polícia Militar em cima dos manifestantes. Foram balas de borracha, bombas, cassetetes e spray de pimenta. Mais de 200 pessoas ficaram feridas.

O presidente da Alep disse que agiu pensando na segurança dos deputados. “Sempre afirmei que o objetivo de recorrer à justiça para dar guarida e segurança ao espaço dos senhores deputados é porque o parlamento é sustentáculo de uma democracia. A liberdade de expressão é do deputado, que não pode ser afrontado dentro da casa do povo. Não me arrependo de nada. Se eu não tivesse tomado essa atitude o Paraná não teria a situação financeira saneada e que é exemplo pra todo Brasil”, afirmou Traiano.

Ouça o que disse Traiano:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s