Esclarecimento sobre minha saída da rádio: verba dos governos (dinheiro público) falou mais alto lá

foto mareli

Foto do início do trabalho em 2014 na emissora.

Na terceira-feira (19) encerrei um ciclo de trabalho de seis anos na Rádio T. Gostaria de agradecer imensamente a todos vocês meus ouvintes de todos os dias. Se não fosse por vocês, nada teria sentido!

Agradeço a confiança que a diretoria da emissora teve no meu trabalho durante este período. Agradeço também a todos os entrevistados que me atenderam ao longo desses anos. E agradeço aos verdadeiros amigos que sempre me apoiaram. E agradeço a Deus por ter me dado forças todos os dias que estive aqui.

Agora vamos para a parte difícil! Eu devo uma satisfação a todos os meus ouvintes sobre os motivos da minha saída. E não tem nada a ver com os reflexos do coronavírus, como vão dizer! É muito difícil ter quer contar, mas não posso me calar. Eu nunca me calei e não vou me calar agora!

Lamentavelmente a diretoria da emissora optou pelo que todos fazem, escolheu o dinheiro público que vem dos governos estadual, municipal e federal. O nosso dinheiro sendo utilizado para calar o jornalismo verdadeiro.

Pra mim jornalismo de verdade é aquele que é feito para a população e a favor da população. O resto não é jornalismo.
Após insistir para que me informassem o motivo da minha saída, veio a resposta! Fui comunicada de que “nesta rádio não pode mais bater nos governos, principalmente no governo estadual”.

As rádios T e Lagoa Dourada (antiga Difusora) estão entupidas de verbas dos governos. E também estão cheias de conteúdo enlatado do governo estadual, o que não é jornalismo! Basta ligar o rádio e ouvir para confirmar!

Segundo a diretoria da emissora, “o meu trabalho deixou de ser interessante para a rádio porque não pode mais bater no governo”. Se eu continuasse lá, falando a verdade sobre determinados políticos, a emissora perderia esse dinheiro. Então se eu ficasse, teria que mentir para as pessoas. E eu jamais faria isso. Sendo assim, não faço mais parte da Rádio T.

Lamento que a diretoria da emissora tenha se vendido dessa forma. Mas afirmo que isso vinha sendo construído. Eu sempre estive “na corda bamba” por pressões de políticos. Mas nunca pelo lado profissional, nunca pelo trabalho exercido.

Diferente de tantas outras vezes, a emissora cedeu às pressões. O dinheiro falou mais alto. Dinheiro do povo! Pra quem se diz o “imparcial”, ficou feio!”

Tive que ouvir que “dei muito prejuízo para a rádio por questionar ou criticar políticos”. Como se fosse errado fazer isso! Ora! Se não é pra questionar, de que adianta o jornalismo?

Durante a conversa que culminou na minha saída, fui lembrada das entrevistas que eu fazia com o ex-governador do Paraná, Beto Richa. Segundo a direção, “a rádio perdeu toda a publicidade do governo por conta do meu trabalho”. E agora eles não querem que o mesmo aconteça! Pois mudou o governador, mas as atitudes são as mesmas. Então que fiquem com o dinheiro!

Tenho a dizer que me dediquei muito todos esses anos. Sempre fiz muito mais do que a minha carga horária de jornalista. Trabalhando em casa e dedicando a minha vida para levar um conteúdo de qualidade para os meus ouvintes. Eu não me arrependo disso! E faria tudo de novo, pois todos merecem um trabalho honesto e de qualidade. Dei o meu melhor e aprendi muito!

Não posso dar detalhes, pois não seria ético de minha parte. Quem ouviu a rádio hoje entendeu os motivos da minha saída. Pois no horário em que eu fazia entrou o próprio diretor da emissora, puxando o saco do prefeito de Ponta Grossa, com conteúdo de assessoria e ignorando os problemas da cidade e do estado. Puxou o saco dos políticos junto com dois locutores (não jornalistas), que vão fazer tudo que ele mandar. Vão dizer amém! Serão capazes até dizer que políticos não roubam! Realmente não me presto a isso!

Estou saindo com a cabeça erguida, pois sei que sempre fiz o que é correto. Saio de cabeça erguida porque nunca me vendi para políticos. Saio de cabeça erguida porque nunca menti para meus ouvintes. Saio de cabeça erguida porque nunca aceitei “trambiques e falcatruas”.

Saio de cabeça erguida por saber que fiz na Rádio T o jornalismo que sempre achei correto. E poderia ter feito muito mais, não fossem as “pressões” e “ameaças”.

Sei que praticamente todos os políticos estão comemorando a minha saída. Mas é o seguinte lá vai um recado: eu não vou parar! Vocês conseguiram o que tanto queriam em relação à emissora, mas pra me calar, só me matando.
Aliás, já disseram por aí que “com essa moça tinha que ser na base do tiro”, né? Graças a Deus não passou de uma frase de um ser sem luz!

E olha que hoje eu é que poderia sair “atirando”, pois parafraseando um ex-ministro rs, tenho provas das interferências!

Pessoal, vou continuar com minhas matérias aqui no blog: https://marelimartins.com.br/

O Enquanto Isso da semana vai continuar no Blog. Pois esse quadro fui eu que criei e sempre fiz sozinha! Então ele segue comigo no Blog. Sempre nas sextas e sábados!
Além do meu blog, em breve terei novidades! Vou informar vocês por aqui!

Obrigada a todos de coração! E me acompanhem no blog!

Um comentário

  1. Que o sucesso se repita nas jornadas que virão. Acompanho seu trabalho muito mais pelo blog do que pela rádio e já deixo meus parabéns pela coragem e profissionalismo com que escreve.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s