Câmara de PG deixa para 2021 o processo de cassação de Valtão

Em parecer jurídico apresentado nesta segunda-feira (21), a Câmara dos Vereadores apontou a falta de tempo hábil para o trâmite de todo processo ainda neste ano de 2020. (Foto: CMPG)

O pedido de cassação do vereador Walter José de Souza (PRTB), o Valtão, ficou para o ano de 2021, quando assume a nova legislatura da Câmara Municipal de Ponta Grossa. Em parecer jurídico apresentado nesta segunda-feira (21), a Câmara dos Vereadores apontou a falta de tempo suficiente para o trâmite de todo processo ainda neste ano de 2020.

Vereadores aprovaram nesta segunda-feira (21), a aceitação do processo de cassação. No entanto, o trâmite ficará para o ano de 2021. Mas várias questões poderão ser apontadas no próximo ano, já que o pedido de cassação se refere ao atual mandato de Valtão (2016-2020). Em 2021 começa outra legislatura e outro mandato do vereador Valtão.

Os vereadores sorteados para compor a Comissão Processante que vai avaliar o pedido de cassação de Valtão foram Sebastião Mainardes Junior (DEM), Divo (PSD) e Eduardo Kalinoski (SD).

Estes vereadores precisam se reunir para definir quem será o presidente e o relator da comissão. O relatório precisa ser apresentado em 90 dias. Neste caso chama atenção o fato de que dois dos vereadores sortedos não ocuparão mais vaga na Câmara de Ponta Grossa a partir de janeiro de 2021: Kalinoski e Mainardes. Ambos não disputaram o cargo vereador na eleição de 2020.

Segundo o presidente da Câmara dos Vereadores, Daniel Milla, a próxima legislatura terá que decidir se abrirá outro processo de cassação. “No ano que vem será feito outro parecer do jurídico para definir se mantém esse pedido de cassação ou se teremos que abrir outro pedido”, afirmou.

Milla disse que o principal motivo para o trâmite da cassação ficar para o próximo ano é a falta de tempo hábil da atual legislatura.

“Temos apenas dez dias desse mandato, tem Natal e Ano Novo e temos dias de recesso da Câmara. Ou seja, não existe tempo hábil para votar o pedido de cassação neste ano”, declarou Milla.

Valtão foi preso pelo Gaeco na última terça-feira (15), durante a Operação Saturno, que investiga se houve corrupção dos vereadores que integraram a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do EstaR Digital. Valtão foi relator da CPI.

O pedido de cassação foi feito pelo vereador e presidente do PRTB, Sargento Guiarone, que também é investigado na Operação Saturno do Gaeco.

O vereador Ricardo Zampieri (Republicanos), que também está preso, não foi alvo de pedido de cassação. Mas Zampieri termina o mandato no dia 31 de dezembro. Ele não concorreu à Câmara as eleições de 2020, porque optou por disputar a majoritária. Ele foi candidato ao cargo de vice-prefeito na chapa de Marcio Pauliki (SD).

Veja o parecer da Câmara dos Vereadores de Ponta Grossa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s