“Material apócrifo tem DNA ao estilo MM, ou seja, MalandraMente”, declarou Sandro Alex

sandrinho
O deputado federal Sandro Alex (PSD) usou sua página no twitter para comentar o episódio envolvendo os materiais apócrifos, despejados no último sábado (8).

As eleições em Sucupira, digo Ponta Grossa, andam bastante agitadas, desde que os “sujismundos” decidiram atacar novamente. Não há como não lembrar aqui, mais uma vez, da fictícia Sucupira, da obra ‘O bem Amado’, de Dias Gomes, “onde tudo era colocado em jogo, para vencer a eleição”. Na madrugada do último sábado (8), as ruas da cidade foram emporcalhadas com materiais apócrifos contra o candidato Aliel Machado (Rede Sustentabilidade).

A partir daí as fofocas se intensificaram e um grupo acusa o outro. O grupo de Rangel tem declarado que “essa é uma tática comunista e muito utilizada pelo PT, para “ficar de vítima”. Alegam que foi o próprio candidato Aliel Machado que despejou os materiais. Marcelo Rangel afirmou que “não vai baixar o nível e nem deixar de apresentar propostas para responder a ataques sem fundamento”.

Por outro lado, defensores de Aliel Machado, dão como certa a autoria dos panfletos ao candidato Marcelo Rangel. O candidato da Rede registrou boletim de ocorrência na Polícia Federal e comunicou a Justiça Eleitoral. E disse que “infelizmente teve que recorrer à Justiça novamente para coibir atos criminosos”.

E na noite de domingo (9), a polêmica, ficou ainda mais apimentada, quando o deputado Marcio Pauliki (PDT), desafiou Marcelo Rangel a utilizar as câmeras de segurança da prefeitura, para descobrir os reais autores. “Como cidadão, gostaria de questionar o prefeito do porque ao invés de fazer um vídeo se “vitimizando”, ele não aciona as gravações das dezenas de câmeras da Guarda Municipal e desvenda, de uma vez por todas, quem está por trás desta prática nefasta e nojenta? Acredito que não haja nenhum receio quanto a isso, não é mesmo?”, questionou Pauliki.

E nesta segunda-feira (10), o deputado federal Sandro Alex usou o seu twitter para dar aquela famosa indireta, do tipo, “para bom entendedor meia palavra basta”. Sandro escreveu “Distribuição de material apócrifo tem DNA ao estilo MM, ou seja, malandramente. No estilo de 2012, do conhecimento de todos”, declarou. Vale destacar que o deputado Marcio Pauliki é proprietário das lojas MM. Mas a interpretação das entrelinhas ficam ao critério do leitor!

Veja a postagem de Sandro Alex no twitter:

post-sandro-2222

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s