Protesto: policiais levam viaturas sucateadas em frente ao Palácio do Governo do Paraná

protesto-policia-curitiba8-660x372
Policiais mostram situação precária das viaturas no Paraná. (Foto: Jonathan Campos / Gazeta do Povo)

Nesta segunda-feira (24) integrantes das polícias Civil e Militar fizeram uma passeata que saiu do Parque Barigui com destino ao Palácio Iguaçu. Policias fizeram um ato simbólico em que entregara ao governo de Ratinho Junior (PSD) algumas viaturas quebradas e sucateadas. O objetivo foi mostrar a situação precária da estruturas das polícias.

Além disso, os servidores pedem um reajuste salarial referente à inflação dos últimos 12 meses, que representa 4,94%. As categorias, porém, afirmam que o congelamento já representa perdas salariais que alcançam os 17%.

Após a mobilização o presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Paraná (Adepol), Daniel Fagundes, disse que o governo vai receber a categoria.

“O secretário de Segurança nos recebeu e ele nos informou que o governador Ratinho Junior vai nos receber na semana que vem. Sendo assim, vamos continuar mobilizados, mas não vamos parar o serviço das delegacias, até que o governador nos receba na próxima semana. Quero ouvir a proposta dele. Não aceitamos data-base zero. Estamos dando nosso último suspiro de esperança nesse governo. Se ele não nos receber, nós vamos retomar o nosso movimento com força total”, declarou o presidente da Adepol.

O líder do Governo na Assembleia Legislativa do Paraná, Hussein Bakri (PSD), disse que “com início da greve as negociações se encerram”.

Na semana passada o governador Ratinho Junior (PSD) afirmou que “o governo não tem dinheiro para conceder o reajuste e que a única maneira para fazer isso seria aumentar impostos”.

Empresa de manutenção de veículos oficiais é suspeita de causar prejuízo de R$ 125 milhões ao Estado do Paraná

No dia 28 de maio deste ano a Polícia Civil do Paraná deflagrou a operação “Peça Chave”, que investiga diversos crimes praticados por pessoas ligadas à empresa JMK, responsável pela manutenção de veículos oficiais do Estado do Paraná. A atividade criminosa estaria ocorrendo desde o início da execução do contrato. O prejuízo aos cofres públicos é estimado em mais de R$ 125 milhões.

Mais de 100 policiais civis participaram da operação, e foram cumpridos 15 mandados de prisão temporária e 29 mandados de busca e apreensão, em Curitiba. Também foram cumpridas ordens judiciais para bloqueio de contas bancárias e apreensão de 24 veículos de luxo utilizados pela organização criminosa. Os mandados foram expedidos pela 8ª Vara Criminal de Curitiba.

A investigação da Polícia Civil do Paraná aponta que os responsáveis pela JMK, teriam estabelecido uma sistemática que envolvia a falsificação e adulteração de orçamentos de oficinas mecânicas, de modo a elevar o valor do serviço prestado, provocando superfaturamentos que chegam à 2450%.

Além disso, utilizariam peças do mercado alternativo, de qualidade e preço inferior, na manutenção de ambulâncias e viaturas policiais, cobrando do Estado como se fossem peças originais.

Os líderes do esquema teriam criado uma complexa estrutura, que envolve “laranjas”, dezenas de familiares e empresas de fachada, para ocultar e dissimular a origem criminosa do dinheiro.

Segundo as investigações, a organização criminosa teria praticado os crimes de fraude à licitação, falsidade ideológica, falsificação de documento particular, inserção de dados falsos no sistema, fraude na execução do contrato e lavagem de dinheiro.

Confira a lista completa de entidades que dão apoio à  greve:

Polícia Civil (Sindipol, Adepol, Sinclapol, Sindespol)
APP-Sindicato (Professores(as) e Funcionários(as) de Escola)
Sintespo Ponta Grossa (Técnicos(as) e Professores(as) da UEPG)
Sindiseab (Servidores da Agricultura, Meio Ambiente, FUNDEPAR e afins)
SindipoL (Policiais Civis de Londrina e Região)
Sinpoapar (Peritos oficiais e Auxiliares)
Sindarspen (Agentes Penitenciários)
Sindiprol (Professores do ensino superior de Londrina e Região)
SindiSaude (Trabalhadores(as) da Saúde)
Assuel Londrina (Técnicos-administrativos da UEL)
Adunicentro (Sindicato dos docentes da Unicentro Irati e Guarapuava)
Sinduepg (Sindicato dos docentes da UEPG)
SinDetran (Servidores(as) do Detran)
Sintesu (Docentes e Agentes Universitários de Guarapuava e Irati)
UEM ( 4 entidades)
Policia Militar (9 entidades)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s