Secretário da Fazenda alfineta oposição da Alep: “eles nos criticam, mas nada disseram sobre a terceirização que o Governo Federal fez”

1605 Rene foto
Durante a entrevista, o secretário foi questionado sobre a aprovação às pressas dessa lei, principalmente neste período de pandamia do coronavírus. Renê Garcia Júnior evitou polemizar o assunto e desconversou sobre a falta de ampla discussão da proposta.  (Foto: Arnaldo Alves/AEN)

Em entrevista à Rádio T e ao Blog da Mareli Martins neste sábado (16), o secretário da Fazenda do Paraná, Renê Garcia Júnior, falou sobre a lei sancionada pelo governador Ratinho Junior (PSD), que possibilita a tercerização de serviços atualmente realizados pelos servidores públicos. A lei foi sancionada pelo governador no dia 06 de maio de 2020. (Ouça a entrevista no final do texto)

Deputados de oposição disseram que vão tentar derrubar a lei na Justiça e alegaram que “o projeto não foi discutido amplamente” e que o “governo aproveitou a pandemia do coronavírus para aprovar a lei às pressas”.

O secretário da Fazenda, Renê Garcia Júnior, criticou os deputados de oposição. Segundo ele, quando o Governo Federal aprovou a terceirização de cargos, os deputados não se manifestaram.  “Eu acho estranho estes deputados da oposição, que estão criticando a lei, pois o governo federal fez a mesma coisa e eles não disseram nada. O governo federal extinguiu quase oitenta mil cargos e eu não vi uma única palavra desses deputados de oposição”, criticou o secretário.

Durante a entrevista, o secretário foi questionado sobre a aprovação às pressas dessa lei, principalmente neste período de pandamia do coronavírus. Renê Garcia Júnior evitou polemizar o assunto e desconversou sobre a falta de ampla discussão da proposta.

“A lei foi aprovada agora porque este é o momento de mostrar aos investidores que nós vamos ter uma trajetória sustentável no Paraná. Quem investe no Estado terá a garantia de que não haverá crise nos próximos vinte anos, sendo garantidos os serviços básicos para a população”, afirmou.

O secretário não deixou claro os impactos financeiros que serão gerados com a terceirização de alguns serviços. Esse foi um dos pontos questionados pelos deputados de oposição.

“A economia não é para agora, vai acontecer pela melhora da qualidade de serviços. Eu considero essa lei a mais importante para o Estado para os próximos anos, pois temos enormes deficiências em alguns serviços do Estado, tem gente demais em algumas atividades e pouca gente em outras. Nós temos uma análise de qual será a dinâmica dessa redução de custos , mas isso vai ocorrer ao longo dos anos”, declarou.

O secretário não deixou claro quais são os setores em que as terceirazações poderão acontecer.

Ouça o trecho da entrevista do secretário sobre a lei das tercerizações:

Ouça também a entrevista completa: 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s