Vereador Felipe Passos (PSDB) vira réu em ação criminal por assédio sexual e rachadinha

Segundo a denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR), os crimes teriam ocorrido  durante o primeiro mandato do vereador. (Foto: CMPG)

O vereador de Ponta Grossa, Felipe Passos (PSDB), viu réu novamente em processos de rachadinha e assédio sexual. Passos já é réu em uma ação civil pelos mesmos crimes. A Justiça aceitou a denúncia criminal contra o vereador.

Segundo a denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR), os crimes teriam ocorrido  durante o primeiro mandato do vereador.

Cinco pessoas que trabalhavam com ele foram ouvidas neste processo, sendo que quatro denunciaram ter sofrido assédio sexual e outros denunciaram que eram obrigados a repassar parte dos salários ao vereador, crime de rachadinha.

A Justiça designou audiência de instrução e julgamento para o dia 9 de junho de 2022, a partir das 14 horas, para serem ouvidas as testemunhas de acusação e de defesa, e após será interrogado o vereador.

Em agosto de 2021, a juíza de Direito da 2ª Vara da Fazenda Pública de Ponta Grossa, Luciana Virmond Cesar já havia aceitado a ação feita pelo Ministério Público do Paraná para a investigar o vereador Felipe Passos (PSDB) pelos crimes de rachadinha e assédio sexual. A pedido do MP-PR, houve o bloqueio de bens no valor de R$ 50 mil do vereador.

Segundo o MP, consta em diversos depoimentos de pessoas que trabalharam com o vereador relatos de exigência de valores e assédios sofridos.

Conforme a juíza, foram colhidos diversos depoimentos que podem demonstrar a prática de atos de improbidade pelo réu, seja pela suposta obtenção de o de valores indevidos ou pelo assédio aos funcionários. “Tais depoimentos somados aos demais documentos colhidos durante o Inquérito Civil são suficientes para embasar o ajuizamento desta ação, diz o trecho da decisão da juíza.

O que diz a defesa do vereador Felipe Passos

O advogado Fernando Madureira, afirmou que a denúncia não tem fundamentos. “São denúncias oriundas de perseguição política feitas por pessoas inescrupulosas que tentam prejudicar o parlamentar e acabaram induzindo em erro o nobre Promotor de Justiça. E os relatos de que o vereador assediava moral e sexualmente os servidores subordinados é um absurdo, não passando de mentiras fabricadas por pessoas que desejam tirar vantagem do vereador”, disse a defesa do vereador.

No dia 03 de junho de 2021 a Câmara de Ponta Grossa arquivou o pedido de abertura de Comissão Parlamentar Processante (CPP) contra Felipe Passos (PSDB), que poderia resultar em cassação do mandato. Foram nove votos contrários à abertura da CPP e oito voto favoráveis. A Câmara alegou falta de provas sobre as acusações contra o vereador.

Relembre o voto dos vereadores durante a rejeição da denúncia contra Passos na Câmara

Câmara PG rejeita abertura de processo de cassação de Felipe Passos: vereador é acusado de rachadinhas e assédio sexual | Mareli Martins

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s